Parei de encontrar culpados

Parei de encontrar culpados

Olá meus amores!

Hoje trago um tema que acredito que em algum momento da vida, todos nós já vivenciamos.

A mania de culpar os outros pelos nossos erros, para nos eximirmos da culpa.

Você já parou para pensar que é muito mais fácil encontrar culpados para nossos erros, se vitimizar, ficar jogando nossa responsabilidade de fracasso sobre os outros, dando desculpas?

Sabe por que eu sei disso? Simplesmente porque durante anos da minha vida eu agi exatamente assim. Eu era a vítima do mundo, eu me colocava neste ciclo de tristeza e lamentação, lembro como se fosse hoje, como tu está Edi? Estou bem dentro do possível, mas meu chefe só pega no meu pé… a fulana poderia me ajudar em tal coisa e faz tudo errado, não deu certo porque o ciclano não me ajudou…e por aí vai, um mar de lamentações e vitimização. Essa era minha vida, meu ciclo destrutivo, e por aqui fiquei anos e anos, me alimentando disso.

Durante anos usei máscaras, não demonstrava fraqueza, aparentava estar sempre bem, me defendia achando que estava certa e culpando os outros. Não demostrar minhas vulnerabilidades, não assumir meus erros, transferir a responsabilidade para o próximo, me assombrava e me mutilava nos meus momentos de solidão, eu comigo mesma.

Com o tempo aprendi que errar é humano, que eu não me permitia errar, por isso culpava os outros, eu tinha que “ser perfeita”… imaginem, como se existisse perfeição!! Sofria muito e entrava em pânico se algo não ocorresse como “deveria ser e estar”, sob meu controle.

Ao compreender e aceitar meus erros, entender que isso me fortalecia e me trazia aprendizado, assumi a responsabilidade dos meus atos, tirei a máscara, enfrentei meus fantasmas, acolhi as dores e tudo ficou tão pequeno, tão simples, tão melhor e mais leve.

A autorresponsabilidade pela minha vida, pelos meus atos, minhas decisões, meu erros, simplesmente me fortaleceu, aprendi que tudo depende de mim, da minha maneira de pensar, de agir, de ver a vida, as pessoas, os acontecimentos e que eu sou a única grande responsável por criar a minha realidade.

Quando parei de encontrar culpados, me encontrei, me libertei!

Como seria se você assumisse a responsabilidade pela sua vida?

Se você se identificou, responda a essa pergunta com sinceridade. Se conhece alguém que precisa ler esse texto, compartilhe para ajudar na reflexão e na construção de uma vida próspera, sem máscaras e cheia de essência.

Errar é humano! Assuma seus erros e aprenda com eles.

Beijos no coração!

Até semana que vem.

Chega de achar que sonhar é bobagem

Chega de achar que sonhar é bobagem

Olá meus amores!

Hoje quero trazer um assunto muito presente na minha vida e que trabalho muito com meus clientes e acredito verdadeiramente na importância deles na vida, os sonhos.

Vocês  já pararam para refletir e planejar como conquistar os sonhos de vocês?

Já se permitiram planejar a vida através dos sonhos?

Vocês se permitem sonhar?

Ah, como assim Ediana?!! Sim!!! Sonhar faz bem para a saúde, faz bem para a alma, faz bem para o coração!! Sonhar faz com que possamos nos projetar onde queremos chegar e esse é um dos passos para realizar nossos sonhos, visualizar.

Quando falo em sonhos, falo desde o mais pequenos, que na realidade são grandiosos, sonhar em se amar mais, sonhar em se valorizar, sonhar em casar com uma pessoa maravilhosa e ter um casamento feliz, sonhar em ter filhos, sonhar em comprar uma casa, viajar o mundo, em ser feliz, envelhecer com saúde, em ser você mesma, comprar um carro, abrir uma empresa, ter uma carreira de sucesso e chegar ao cargo tal…

No ano passado tiramos umas fotos para nossa empresa e foi impressionante como automaticamente meus pensamentos se voltaram para minha infância. Quando criança eu tinha um sonho de tirar fotos com minha família e não foi possível , pois naquela época de vacas magras, não tínhamos condições financeiras.

Um fotógrafo e sua equipe batiam de porta em porta na cidade oferecendo o serviço e se contratado, eles entregavam o álbum de fotos, detalhe, as roupas eram também por conta deles, lembro como se fosse hoje do chapéu cor-de-rosa.

O tempo passou e eu fiquei com essa memória guardada que acabou vindo à tona quando contava para meu marido do meu sonho de infância que estávamos realizando, porém agora, com fotos nossas e para nossa empresa! Uauuuu!!!

Foi um misto de emoção, de orgulho, de sentimentos bons que se passaram pela minha cabeça… orgulho de ter me tornado a mulher determinada, guerreira, pisciana sonhadora que baixou a cabeça e lutou para realizar os sonhos, que muitos diziam ser impossível, mas que eu acreditava, me enxergava exatamente onde cheguei. Orgulho de vencer os obstáculos que a vida me impôs e de não me permitir desistir. E muito orgulho, por ter um companheiro que nos momentos que pensei em desistir simplesmente me desafiou e hoje é meu marido (isso também era um sonho e foi muito visualizado, planejado, escrito como seria).

Essa foto retrata exatamente a emoção do momento, meus olhos se encheram de lágrimas, meu coração disparou, eu vivenciei novamente aquele momento. A emoção foi por mais um sonho de infância ter se realizado, que para muitos pode ser pequeno, mas para mim é grandioso demais.

Já se deparou realizando sonhos de infância?

Já se permitiu sentir a emoção de realizar sonhos? De comemorar? De agradecer?

Se permita acessar seus sonhos, se permita visualizar de olhos fechados onde sonha em chegar, sentir o cheiro, o gosto, te ver exatamente no momento que você vai chegar, se não desistir, se focar nos teus sonhos, planejar, te colocar em ação, você vai conquistar!

Eu demorei uns 24 anos para conquistar um sonho simples e foi tão intenso porque casou com o outro sonho, de fotografar para nossa empresa, quer sentimento maior!! Eu conquistei! Você também pode!!!

Me acompanhe também nas redes sociais:
Instagram : @edianagrassi
Fanpage: @edianagrassidesenvolvimento

E se tiver sugestões de assuntos que eu possa escrever para te ajudar, envie para o whatsapp da empresa: (48) 9 9127 -6685.
Um beijo no coração!
Com carinho,
Ediana Grassi.

Cansei de controlar minha intensidade

Cansei de controlar minha intensidade

Olá meus amores!

Tudo bem com vocês?

Quero iniciar o texto hoje fazendo uma pergunta: em algum momento da vida, vocês já deixaram de ser vocês? É isso mesmo, se perderam? Já mudaram comportamentos, hábitos, por medo do julgamento dos outros?

Deixa eu te contar!!!

Por muitos anos eu escutei:

Seja menos intensa, Ediana!

Cuidado com toda essa tua intensidade!

O que os outros vão pensar?

Eu ouvi isso durante grande parte da minha vida e me culpava por ser tão intensa, por gargalhar quando achava algo engraçado, por me empolgar ao contar minhas histórias, por falar desenfreada quando o assunto era muito bom. Sofria por simplesmente achar que estava errada e tentar mudar minha essência, meu jeito despojado, por não gostar de andar “engomadinha”, ou falar pausadamente, justo porque recebia conselhos “dos outros” e ao invés de avaliar, recebia aquilo como verdade absoluta, porque morria de medo do que “os outros iam pensar sobre mim”.

Que baita bobagem! Sofri por tantos anos reprimindo minha intensidade, minha essência, até entender que esse é um dos meus grandes pontos fortes de vida, de alavancagem! Sim! A intensidade faz com que meus clientes vibrem, se motivem, transmito minha energia para quem convive comigo, e hoje esse é um dos meus grandes diferenciais no trabalho e na vida (recebo feedback direto de meus clientes sobre minha energia,  intensidade e o quanto faz a diferença).

Hoje penso, é tão simples ser eu mesma e foi tão difícil entender e aceitar isso. Foi um grande desafio e tive que contratar uma especialista, para ajudar a me desenvolver e quebrar essas crenças que me assombravam e limitavam.

Como nos privamos, nos culpamos por escutar e aceitar tudo o que nos é falado.

Porque ouvir o que os outros falam sobre nós é mais importante do que o que nós mesmos pensamos a nosso respeito?

Você já deixou de falar algo, de se colocar por medo da reação dos outros?

Então escuta bem o que vou falar, pode parar com isso!!! Eu vivi “dentro da caixinha” por anos reprimindo minhas vontades, camuflando minha essência e nada tive de bom, a vontade de estar de bem comigo mesma só aumentava a dor que eu sentia por entender que era errado ser intensa. Se não te prejudica, se te faz bem e não prejudica aos demais que convivem contigo, use essa força para crescer, para iluminar tua vida, pessoal, profissional financeira, espiritual.

Assuma com orgulho tua maneira de ser!

Um super beijo no coração e até semana que vem!

Ediana